Search
  • Dadá Souza

Punta Hermosa & Pico Alto


O Peru sempre foi a “Meca do surf” na América do Sul. A história, a tradição, o oceano pacífico, a certeza de boas ondas, a cultura local, a comida, são muitos os elementos que fazem com que uma viagem ao Peru seja sempre gostosa e proveitosa, mas essa nossa primeira viagem pra lá depois de uma longa temporada de restrições por conta do covid foi muito especial.


Já tinha um bom tempo que estávamos querendo fazer uma trip para o Peru. Quem já foi sabe como é, a vontade de voltar é eterna. Mesmo com as proibições, monitorávamos quase que diariamente as ondulações que marchavam em direção à costa peruana. Tão perto daqui, economicamente acessível e com ondas de ótima qualidade, mas com fronteiras fechadas.


A primeira trip pós-quarentena só foi acontecer agora, no final de outubro de 2021 e surgiu com um convite do amigo, ídolo e surfista casca grossíssima Rodrigo Resende, que foi quem deu o alerta e quem fez o convite. O Monster estava indo para lá com sua dupla/aluna e botou a maior pilha. No dia seguinte já compramos as passagens, fomos acertando com o Luisito a pousada e os jets, alugamos um carro e partimos para o Peru. Foi tudo muito rápido. Teria sido ótimo fazer essa trip junto com o Rodrigo Resende, mas um daqueles acasos da vida acabou cancelando a ida do Rodrigo e de sua dupla. Faz parte. O que também faz parte, e é a única parte chata dessa viagem, é a peregrinação nos aeroportos. Saímos de Floripa, fomos pra São Paulo, ficamos um tempão lá, depois fomos pra Santiago, ficamos outro tempão lá e só mais tarde é que fomos pra Lima. O Peru fica aqui ao lado, mas foram 24 horas exatas do sair de casa até chegar na pousada do Luisfer. Chegando lá foi só alegria. Punta Hermosa cresceu muito durante a pandemia, assim como aconteceu com Garopaba e muitas outras cidades litorâneas, muita gente trocou a vida em Lima pela vida na praia e isso fez muito bem à região. Tudo limpo, seguro e organizado. Foi bem legal ver de perto essa mudança.


Pico Alto foi um show à parte. A região de Punta Hermosa tem muitos ótimos picos de surf, tem onda para todo tipo de surfista, mas para os que gostam de grandes emoções, Pico Alto faz juz a sua fama. Já no primeiro dia as ondas estavam incríveis. Na água só quatro pessoas. Eu e o Marquito e os locais Luisito e Polaco. Já no início da sessão o Marquito me colocou em quatro direitas bem grandes, quando entrou uma galera para surfar na remada, passamos a surfar as esquerdas. O mar estava bem grande, emendando tudo, de Pico Alto até a beira da praia em Señoritas. No meio da sessão acabei caindo em uma onda e o Marquito me socorreu bem rápido, mas na onda de trás um peruano levou uma vaca e quebrou a prancha. Acabamos indo primeiro resgatar o cara e só depois voltar para buscar a minha prancha, só que naquele turbilhão d´água todo, a prancha sumiu no mar. Só fomos achar a prancha uma hora depois em Señoritas. Uma garotinha tinha achado a prancha e estava brincando com ela na beira. No final do primeiro dia consegui colocar o Marquito em uma bomba. Uma direita enorme, provavelmente a maior onda que vimos nessa trip. Foi muito legal ver esse momento lá fora. No outro dia o mar baixou para uns 15 pés, no terceiro baixou pra 12 a 15 pés. Só eu e o Marquito na água surfando altas ondas. No terceiro dia 10 pés e novamente só nós na água. Ondas grandes, lindas, perfeitas, manobráveis e só a gente na água. Ainda pegamos uns dias em Señoritas e em La Isla com sol e água bem clarinha e acabamos a trip fazendo um churrasco pro Luisito e pro Luisfer.





Depois desse tempo todo trancado por barreiras sanitárias e políticas foi ótimo poder fazer essa trip, foi muito bom voltar ao Peru e celebrar a vida, o surfe e as amizades. Não voltamos com ótimas fotos ou com belos filmes da viagem (foi até um milagre terem saído alguns registros), mas nem toda trip é feita para enfeitar instagram, algumas são só para surfar mesmo.


O Projeto Barulho do Mar recomenda: Luisfer Surf Camp

5 views0 comments

Recent Posts

See All