Search
  • Dadá Souza

Barulho do Mar - Capítulo 4

Updated: Jun 11




O mês de maio foi especial para quem gosta de ondas grandes. Com uma ondulação grande atrás da outra atingindo o sul do Brasil, João Paiva, Marquito Moraes e a equipe Jagua Boys aproveitaram as bombas e surfaram ótimas ondas na Laje da Jagua, a lendária onda de Jaguaruna, litoral sul de Santa Catarina.





“Surfar na Lage da Jagua é sempre denso e intenso. Começa pela expectativa, que é sempre grande, afinal as previsões e os gráficos nem sempre batem com a realidade e com o humor da laje. E também pela logística, que é cara e trabalhosa. A equipe sai de Garopaba por volta das 3 da madrugada, dirige mais de 200 km até Jaguaruna e se reúne com a equipe na base da ATOW-Inj. Lá analisamos a condição no primeiro clarear do dia, arrumamos os equipamentos, colocamos os jet-skis na água com pranchas, fotógrafos e filmmakers e navegamos por pouco mais de 20 minutos até chegar ao local onde quebram essas ondas. Tudo sempre em equipe porque a união é a regra de ouro no surfe de ondas grandes. Chegando lá fora você escolhe onde se posicionar, se para a direita ou para a esquerda e aí são 5, 6, às vezes 7 horas de surf ininterruptas. Todo mundo sai de lá muito cansado e ainda tem de colocar o jet na areia, depois nas carretas, tirar tudo da praia, lavar os jet-skis e os equipamentos, colocar tudo nos carros e voltar para Garopaba. Depois de um dia desses a gente chega em casa literalmente moído, mas feliz demais com a sensação da missão cumprida e com a satisfação pessoal de ter desafiado seus limites”.

“O mais legal do espírito do big surf é a união, é diferente de tudo que eu já vi e vivi até hoje nesse esporte. A união, o zelo, a alegria de ver os amigos surfando, de colocar um amigo na onda, é sempre especial. E é incrível você constatar que fica tão feliz colocando seu parceiro em uma onda boa quanto se você mesmo estivesse surfando a onda. A união forjada diante do perigo e do desafio é forte e é o que faz a diferença lá fora. No surf de ondas grandes existe uma coletividade muito bacana, todos são colaborativos, todo mundo se ajuda e fazendo parte da equipe Jagua Boys isso é ainda mais nítido. Você sempre vê a galera torcendo e quando algo acontece de errado todos estão de olho em você, então fora o desafio e a superação, ainda tem essa energia que é bem especial” – João Paiva


“Pegar essas ondas é o que faz tudo valer a pena. Chegar até lá com tudo pronto já é um baita trampo e lá fora a situação é hostil. Surfar ondas tão grandes literalmente em cima das pedras é bom e é perigoso, mas rende ótimos momentos para aqueles que estão dispostos a pagar o preço. É preciso estar atento e forte e dar o bote na hora certa. A onda da laje não é brincadeira, principalmente a direita. Na hora a adrenalina é grande e nem sempre a gente tem a exata noção do tamanho, aí quando sai da água e vê as imagens é que a gente se dá conta do tamanho das ondas. Um vacilo e elas literalmente te esmagam. Se eu tivesse que resumir tudo em duas palavras eu diria que se trata de dedicação e perseverança. ”


“Nós prezamos muito pela segurança de todos que estão lá. Todo mundo tem de chegar lá bem e todos têm de voltar bem. E quando acontece algo de errado, todos irão te ajudar. Se investe muita grana para correr atrás dessas ondas e quando algo dá errado é uma frustração grande, mas quando nós acertamos o dia e conseguimos surfar boas ondas a sensação é indescritível”. – Marquito Moraes

Nosso agradecimento aos amigos da equipe Jagua Boys. É muito bom fazer parte dessa equipe de big riders unida pelo surfe e pelos laços com a região de Jaguaruna e de Laguna. Os Jagua Boys promovem e divulgam o big surf do sul do Brasil mundo afora. Criado pelo lendário e já falecido Zeca Scheffer em 2005, essa equipe segue forte até hoje graças ao Thiago Jacaré e continua cuidando, protegendo e administrando o surf na Laje da Jagua. É uma galera bem preparada, muito unida e que dá uma segurança enorme lá fora.






157 views0 comments

Recent Posts

See All